Faça sua inscrição

Preencha o formulário abaixo

Cirurgia Torácica

DOENÇAS

Pneumotórax

Acúmulo anormal de ar entre as membranas (pleuras) que revestem o pulmão e a parede do tórax. Pode ser consequente a traumatismos, doenças hereditárias ou a enfisema pulmonar.

Empiema pleural

Acúmulo de pus na cavidade pleural (membrana que envolve o pulmão). Na maior parte das vezes surge a partir de uma pneumonia, mas também pode ser consequente de traumatismos, procedimentos cirúrgicos ou diagnósticos do tórax. É uma condição grave, que requer tratamento urgente.

Deformidades da parede torácica – Pectus excavatum e Pectus Carinatum

São deformidades da estrutura óssea do tórax, de variados graus de severidade, também conhecidas como “tórax de sapateiro" e "peito de pombo". O tratamento cirúrgico deve ser considerado sempre que a deformidade acarretar em consequências psicológicas ou sociais.

Nódulos pulmonares

Normalmente são assintomáticos (não apresentam sintomas), sendo descobertos quando há realização de um exame radiográfico do tórax por qualquer outro motivo. Os nódulos pulmonares indeterminados podem ser benignos ou malignos, sendo o seu diagnóstico um grande desafio na área médica.

Câncer de pulmão – Neoplasia pulmonar maligna

É um dos tipos mais frequentes de câncer e o que provoca o maior número de mortes em todo o mundo. No Brasil, surgem cerca de 27 mil novos casos por ano. Quando a doença é descoberta e tratada precocemente o prognóstico é muito mais favorável.

Enfisema pulmonar - DPOC

Doença que se desenvolve após anos de agressão aos sacos alveolares (pequenas bolsas de ar presentes no pulmão) por toxinas existentes no cigarro, poluição, fumaça e outros. O enfisema é tratado com medicamentos, mas em algumas situações, pode ser necessário um procedimento cirúrgico para atenuar a extrema falta de ar dos pacientes.

Sequelas de tuberculose e infecções crônicas do pulmão

Grande grupo de doenças, composta por infecções fúngicas, como histoplasmose e criptococose, doenças parasitárias, como cisto hidático, além de sequelas de tuberculose, como aspergiloma e bronquiectasias. Muitos casos, requerem intervenção do cirurgião torácico.

Tumores do mediastino

Mediastino é o espaço existente entre os pulmões, sendo composto por vários órgãos como traqueia, coração, esôfago, linfonodos, nervos e outros. Uma neoplasia originada em qualquer uma dessas estruturas é considerada um tumor do mediastino, podendo ser benigno ou maligno. Entre os mais frequentes estão os linfomas, os timomas e os tumores neurogênicos.

Miastenia grave

Doença crônica caracterizada por fraqueza muscular que tende a aumentar com o esforço repetitivo. Uma glândula presente no tórax, chamada timo, produz anticorpos que, em muitos casos, causam a doença. A remoção cirúrgica do timo (timectomia) resulta em melhora dos sintomas e da qualidade de vida em 70% dos pacientes, segundo pesquisas da Mayo Clinic - EUA.

Estenose traqueal

Corresponde à obstrução parcial ou total da traqueia, o tubo que leva o ar inspirado até os pulmões. Podem ter várias causas, sendo a mais comum a intubação traqueal prévia (por exemplo, pessoas que necessitam respirar por aparelhos por tempo prolongado). Outras causas incluem tumores, tuberculose, queimadura por inalação de fumaça quente e outras.

Hiperidrose

A Hiperidrose primária tem como principal característica a sudorese (transpiração) excessiva em determinadas partes do corpo, como mãos, axilas e outras. Apesar de não se tratar de problema grave de saúde, a Hiperidrose pode acarretar grandes transtornos de ordem social, psicológica ou profissional. Em muitos casos, o tratamento cirúrgico da doença é recomendado.

Sequelas de traumatismos torácicos

Entre as principais estão o hemotórax retido (coágulo no interior do tórax), a hérnia diafragmática crônica (passagem de vísceras do abdome para o tórax através de uma ferida no músculo diafragmático) e as estenoses brônquicas pós – traumáticas. Todas podem ter graves consequências e inclusive provocar a morte do portador


PROCEDIMENTOS

Cirurgia torácica minimamente invasiva - Videotoracoscopia

Nas últimas décadas a evolução da tecnologia possibilitou a realização de procedimentos cirúrgicos no tórax, inclusive de alta complexidade, por meio de pequenas incisões, com grandes vantagens em relação às técnicas convencionais quanto à menor intensidade de dor pós-operatória, menor tempo de internação e retorno precoce às atividades laborais, além do resultado estético muito mais satisfatório.

Sob este conceito, diversos procedimentos diagnósticos e terapêuticos, tais como biópsias da pleura e do pulmão, retirada de nódulos pulmonares e o tratamento da Hiperidrose (Simpatectomia videotoracoscópica), têm sido realizados de forma rotineira. Mais recentemente procedimentos complexos, como o tratamento cirúrgico do câncer de pulmão ou de tumores do mediastino também passaram a ser realizados de forma minimamente invasiva, em casos selecionados.

Traqueoplastia

Correção cirúrgica das estenoses (estreitamentos) traqueais congênitos ou adquiridos, realizada por meio de incisão na região do pescoço. Raramente, pode ser necessária a colocação temporária de um molde de silicone no interior da traqueia.

Drenagem de tórax

Introdução de um dreno no espaço pleural para remoção de ar ou líquido anormalmente coletado. Procedimento muito frequentemente utilizado em situações de trauma de tórax, infecções e tumores. Atualmente existem disponíveis drenos de longa permanência, que possibilitam ao paciente, em alguns casos, a alta hospitalar precoce e a continuidade domiciliar do seu tratamento.

Simpatectomia videotoracoscópica

Tratamento cirurgico da Hiperidrose (excesso de transpiração). Procedimento realizado sob anestesia geral, de caráter minimamente invasiva (Videotoracoscopia). São realizadas quatro micro incisões de 0,5 cm de extensão, sendo duas de cada lado do tórax.

Ressecções cirúrgicas do pulmão

Grupo de procedimentos realizados em situações diversas, tais como Câncer de pulmão, nódulos pulmonares, sequelas de tuberculose e outras situações. Existem vários tipos de retiradas, que podem ser realizadas por técnica convencional ou, em casos selecionados, por cirurgia minimamente invasiva (Videotoracoscopia):

· Pneumonectomia - remoção de um pulmão inteiro
· Lobectomia - remoção de um lobo pulmonar
· Segmentectomia - remoção de um segmento anatômico do pulmão
· Ressecção em cunha - remoção de pequena porção do pulmão

Correção cirúrgica de deformidades torácicas

O tratamento das deformidades como Pectus excavatum (“tórax de sapateiro") ou Pectus Carinatum ("peito de pombo") é realizada por meio de cirurgia convencional, na qual cartilagens deformadas são removidas e o osso esterno, posicionado na sua topografia correta, corrigindo a deformidade. Deve ser indicada quando o defeito estético acarretar consequências psicológicas ou sociais.

Mediastinoscopia

Procedimento realizado com auxílio de equipamento especial, utilizado para a realização de biopsias ou mesmo de ressecções de doenças mediastinais. Tem grande aplicação em casos de linfomas e linfonodomegalias, além de auxiliar no diagnóstico e definição do estágio evolutivo do câncer de pulmão.

Ressecção de blebs e bolhas pulmonares de enfisema

Procedimentos que visam remover grandes bolhas pulmonares enfisematosas, que “roubam” o ar dos pulmões, causando dispneia (dificuldade de respirar). No caso da ressecção de blebs, é necessário realizar o procedimento, para não ressecar estas pequenas cavidades aéreas, muitas vezes responsáveis por quadros repetitivos de pneumotórax espontâneo. São operações atualmente realizadas, na maior parte das vezes, por técnicas minimamente invasivas.

Pleurodese

Trata-se da terapêutica definitiva dos derrames pleurais, não passíveis de tratamento medicamentoso, como nos casos de origem cancerosa. Em algumas situações pode ser aplicada também a pacientes com Pneumotórax espontâneo recidivante. Atualmente, esta operação é executada por técnicas minimamente invasivas, na maior parte dos casos.

CORPO CLÍNICO

Dr. Marcio Botter
CRM 69442
Currículo Lattes
Dr. Vicente Dorgan Neto
CRM 34459

Currículo Lattes
Dr. Roberto Saad Júnior
CRM 21317
Currículo Lattes

Publicações

  • RASSLAN Z, STIRBULOV R, SAAD JR R, CURIA ST, LIMA CAC, PEREZ EA et al. The impact of abdominal adiposity measured by sonography on the pulmonary function of pre-menopausal females. MULTIDISCIP RESP MED, v. 10, p. 10-23, 2015.
  • Pochini CC, GAGLIARDI D, Saad Jr R, Almeida RF, CORSI PR. . Esofagectomia com Gastroplastia no Megaesofago Avançado: Análise Tardia da Importância do Uso do Omeprazol. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 5, p. 299-304, 2015.
  • SANTOS RS, FRANCESCHINI JP, CHATE RC, GHEFTER MC, KAY FU, TRAJANO ALC, PEREIRA JR, SUCCI JE, FERANDO HC, SAAD Jr R.. Do Current Lung Cancer Screening Guidelines Apply for Populations With High Prevalence of Granulomatous Disease? Results From the First Brazilian Lung Cancer Screening Trial (BRELT1). The Annals of Thoracic Surgery, v. 1, p. 23, 2015.
  • Santos RS, Franceschini JP, Kay FU, Chate RC, Costa ACS, Oliveira FNG, Trajano ALC, Pereira JR, Succi JE, Saad Jr R. RASTREAMENTO DE CANCER DE PULMÃO POR MEIO DE TC DE BAIXA DOSAGEM NO BRASIL: PROTOCOLO DE PESQUISA. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 40(2), p. 196-199, 2014.
  • RIVABEN JH, Saad Jr R, Dorgan Neto V, Botter M, Gonçalves R. HISTORIA NATURAL DO FERIMENTO DIAFRAGMÁTICO EXTENSO À DIREITA: ESTUDO EXPERIMENTAL EM RATOS. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 41(4), p. 267-271, 2014.
  • Tedde, M.L. ; Petrere, O JR ; PINTO, F. ; Pereira, S.T. ; Monteiro, R. ; Sassaki, A.M. ; Togoro, S.Y. ; Trindade, E. ; Saad Junior, R. JATENE, FB. . General thoracic surgery workforce: training, migration and practice pro?le in Brazil. European Journal of Cardio-Thoracic Surgery, v. ezu411, p. 1-6, 2014.
  • SAAD JR R, DORGAN NETO V, BOTTER M, GONÇALVES R, RIVABEN JH, LOPEZ JMA . Validação Técnica da Drenagem Pulmonar como Tratamento do Enfisema Pulmonar Avançado: Estudo Anatômico em Cadáveres. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 39, p. 1-7, 2013.
  • SAAD JÚNIOR, ROBERTO; PRÓSPERO, JOSÉ DONATO DE ; GONÇALVES, Roberto ; RIVABEN, JORGE HENRIQUE ; SQUEFF, FABIANO ALVES . Tumor raro em mediastino: hamartoma. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 40, p. 169-171, 2013.
  • AMORIM E, SAAD JR R, STIRBULOV R . Avaliação espirométrica de doentes com sequela de tuberculose submetidos à lobectomia. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 40, p. 117-120, 2013.
  • sAMORIM E, SAAD JR R, CRUZ FILHO AV . Preoperative and Postoperative Spirometry in Patients Undergoing Lobectomy for Sequelae of Pulmonary Tuberculosis. Open Journal of Thoracic Surgery, v. 03, p. 37-41, 2013.

Contato

Responsável: Chefe da Disciplina: Dr. Marcio Botter
Rua Dr. Cesário Mota Júnior, 112 – Depto de Cirurgia Tel.: (11) 2176-7000 Ramal 5259
Tel.: (11) 2176-1937